sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Foto

minha primeira vez

Eu tinha 13 anos e era totalmente inocente e tímido,ainda não tinha me descoberto, estava passando o verão em uma praia de meu estado quando acorreram esses fatos que contarei a vocês. eu estava andando perto de um lago perto de casa quando apareceu uma cara puxando papo, era um pedreiro que estava trabalhando em uma obra nos arredores. era uma obra de uma casa e ele estava ficando a semana por ali para vigiar a obra a noite, quando os outros pedreiros iam embora. papo vai papo vem e eu notei que ele acariciava o membro por cima das calças, me fiz de desentendido e fiz que não dei atenção. ele me convidou para conhecer a obra que estava vazia no momento e eu meio apreensivo ,mas, no fundo, com uma estranha curiosidade e fui com ele. chegando lá ele já mudou o comportamento, começou mudar o papo para uns lados mais obscenos e começou a acariciar o membro mais descaradamente, eu meio sem jeito não conseguia disfarçar meus olhares. foi então que ele me levou até um quarto onde havia um colchão e algumas caixas, remexendo nessas caixas ele apanhou um punhado de revistas. logo notei que eram revistas pornográficas, na maioria de sexo anal e algumas gays. o cara começou a folhar e me convidou para ver as revistas, ele disse que elas o deixavam excitado e sem a menor cerimônia tirou o membro pra fora e começou a se masturbar bem ao meu lado. eu nunca tinha visto um membro de homem assim tão grande e tão de perto, eu senti um misto de medo e fascinação. senti alguma coisa em mim diferente, minha razão dizia para sair dali mas minha vontade era de ficar cada vez mais perto daquele mastro. era lindo! grosso e lustroso com a cabeça rósea e pulsante. a clima começou a tomar um rumo fora do meu controle e ele insistiu para que eu me masturbasse também. abaixei minhas bermudas de uma maneira que me surpreendeu pelo meu próprio comportamento, os meus desejos já estavam derrubando minha timidez , e comecei a me masturbar olhando aquelas revistas, particularmente uma em que um negro com um pau enorme fodia sem dó o cu de uma moça e fazia 25 cm de vara sumirem cu adentro. ai o rumo das coisas começou a tomar um lado diferente o cara me convidou para "uma troca", primeiro eu masturbava ele e depois ele me masturbava, fiz um pouco de charme mas logo fui pegando naquele mastro. no primeiro contato com a pele daquela delicia eu já senti que era daquilo que eu gostava, agarrei com gosto e comecei a masturbar ele com vontade, tanta vontade que ficou obvia a minha posição naquele jogo, a uma simples sugestão dele eu já caí de boca naquele pirulitão e comecei a chupar e babar com gosto naquela vara. ai que coisa gostosa, senti o gosto de ter um pau na boca e adorei, aquela pele macia daquele caralho duro como aço e aquele caudinho delicioso que saia na ponta, tudo isso me deixou fora de mim, a partir daquele momento eu era como uma puta entregue a qualquer vontade daquele macho pissudo. continuei chupando por um longo tempo meu macho até que veio o melhor, ele começou a jorrar litros de porra na minha boca e eu entrei em transe mamei como um bezerro faminto cada gota daquele leite, não desperdicei uma só gota e a cada gole que descia em minha garganta eu me sentia mais nas nuvens, fiquei ainda um bom tempo mamando ali para tirar até a ultima gota de leite. recompostos depois de uns minutos ele me levou a um banheiro e foi tirando minha roupa, no box ele pegou a mangueira do chuveiro e disse que ia me "lavar". logo entendi o que estava por vir, ele meteu a ponta da mangueira no meu cu e abriu a água, no principio fiquei apreensivo com aquilo mas logo ele me acalmou e disse que era gostoso, de fato, eu senti uma gostosa sensação da água me invadindo por dentro, aquilo levou alguns segundos até que cheguei ao limite de meu cu e ele tirou a mangueira, fui até o vaso sanitário e soltei toda aquela água, nos repetimos isso algumas vezes até que ele disse que eu já estava "limpo" hehehe, eu claro que já sabia o próximo capitulo fomos para o quarto novamente e sem que ele precisasse pedir eu já me coloquei de quatro no colchão e com a minha bunda bem empinada e fiquei esperando pelo meu garanhão, senti ele massageando meu anus com uma coisa gelada e escorregadia, ele enfiou dois dedos no meu cu pare introduzir bastante lubrificante, eu instintivamente relaxei e afrouxei o anel, eu estava pronto para virar mulher. uma coisa firme encostou na entrada do meu cu, era aquele cabeção que eu tinha mamado com tanto gosto, aquele pauzão já estava duro como aço novamente e foi forçando a entrada, eu relaxei e deixei ele vir com tudo, não sei de que maneira, mas aquele mastro enorme (devia ter lá seus 20 cm) foi entrando e após uma peque dorzinha inicial eu só senti uma deliciosa sensação de prazer, a cada milímetro que ele entrava, num vai e vem lento ele foi socando tudo em mim, no "vai" ele tirava um pouco e no "vem" ele metia cada vez mais fundo, logo eu já sentia que meu anel tinha se alargado e o caralhão já estava quase batendo com as bolas na minha bunda, um frenesi tomou conta de mim e eu comecei a rebolar como uma cadela no cio naquele mastro. meu macho agora metia com mais violência e socava tudo até as bolas e depois tirava tudo e socava novamente, meu cuzinho que era virgem até a pouco agora era arrombado como um cu de puta e eu adorei aquilo, ficamos bombando meu cu por mais uma meia hora até que senti uma inundação de esperma dentro de mim, foi tanta porra que chegou sair um pouco pelos lados, só de lembrar eu sinto um tesão no cu. eu agora era a menininha daquele pedreiro, e assim fui durante o resto do verão. ocasionalmente ele trazia alguns amigos para usarem e abusarem de mim, o que eu adorava!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

filme curta gay e longas

Um homem oculta seu desejo de se vestir como mulher. A desconfiança de sua vizinha a seus hábitos misteriosos a leva a vigiar Juan em busca de uma explicação para os estranhos acontecimentos. Enquanto sua vizinha o espia como pode, ele se transforma a cada novo acessório feminino que coloca. Com simpatia, o curta-metragem transpõe a construção de identidades de gênero a partir do vestuário. Protagonizado por Osvaldo Ross, com roteiro e direção de Pedro Dell'Orto, Solene Simpatia é uma co-produção Argentina-Brasil desenvolvida no 'Centro de Formación Audiovisual' na cidade de Buenos Aires - Argentina. Amor Crudo (Amor Cru) é do ano de 2008. Uma linda e emocionante historia. Trilha sonora perfeita!! Sinopse: Um retrato dos últimos dias do colégio. Dois amigos passam o dia inteiro juntos, mas isso, inevitavelmente, chegou ao fim. Uma bela estória sincera de uma mistura de emoções e segredos que não ousa dizer alto. O casal gay Göran e Sven conseguiu permissão para adotar Patrik, um órfão sueco de um ano e seis meses. Mas quando o menino chega, ele não é bem o que eles esperavam. Houve um erro na idade do garoto, e os pais receberam um jovem homofóbico de 15 anos com um passado criminoso.